Eventos \ História
 
Clicar para ver em tamanho original
Sopas de Pedra : O Convento
Ver programa
Download da Ficha de inscrição
“Sopas de Pedra: O Convento” | Jantares - Colóquio

7, 14 e 28 | 20h00

Claustro do Convento de Nossa Senhora da Graça de Torres Vedras

10 € cada jantar – colóquio

Participação sujeita a inscrição: arquivo@cm-tvedras.pt; tel.: 261 320 736.



O nome sopas de pedra aponta para o prato principal de cada jantar - a sopa, procurando remeter também para a valorização do património edificado, um monumento existente no concelho. No caso concreto desta edição, a segunda, para os conventos de Penafirme, Varatojo e Graça de Torres Vedras.

Público-alvo: a família.

Após o jantar, um breve colóquio, com uma comunicação informal feita por um convidado, mote para a discussão em volta de um monumento – um convento.



7 Março | O Convento de Santo António de Varatojo

Vítor Teixeira, Prof. Doutor

(Director do Centro de Estudos Franciscanos do Porto)


Em 1470, no cumprimento de um voto feito a Santo António para que auxiliasse o monarca nas conquistas marroquinas, D. Afonso V, o Africano, mandou levantar o convento de Santo António de Varatojo. A inauguração teve lugar quatro anos mais tarde, em 1474, prolongando-se as obras, pelo menos, até 1490.
A população conventual cresceu, tendo o edifício sofrido aumentos e melhoramentos, como os dormitórios, no reinado de D. João III e de sua mulher D. Catarina, impulsionadora da capela-mor da primitiva igreja. Entre 1474 e 1680, o Convento de Varatojo foi casa de estudos das províncias franciscanas a que pertencera.
Em 1834, o convento foi extinto, vendido em hasta pública em 1845, voltando à ordem franciscana, em 1861. Novamente extinto entre 1918 e 1928, volta a pertencer aos Franciscanos, mantendo uma comunidade.






14 Março | O Convento de Nossa Senhora da Assunção de Penafirme

Carlos Guardado da Silva, Prof. Doutor

(Arquivo Municipal de Torres Vedras / Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa)



O convento de Nossa Senhora da Assunção de Penafirme, fundado em 1226, por Frei Gaibetino, é o mais antigo cenóbio erguido no espaço do município de Torres Vedras. Cerca de 1547, teve início a construção do novo mosteiro, junto do medieval. Todavia, os trabalhos prolongaram-se por quase um século, uma vez que, em 1642, ainda decorriam as obras do edifício, apesar da sagração da igreja ter ocorrido a 15 de Agosto de 1638. E teve nova fundação a sul, a partir de 1735, retomada na sua quase totalidade após o terramoto de 1755, que destruiu grande parte do novo edifício.






28 Março | O Convento de Nossa Senhora da Graça de Torres Vedras

Paula Correia da Silva, Dr.ª

(Arquivo Municipal de Torres Vedras)



O Convento da Graça de Torres Vedras, depois de uma primeira tentativa, fracassada, no século XIII, foi fundado em um local então defronte da igreja matriz de São Tiago, em 1366, recebendo os Eremitas Calçados de Santo Agostinho. Em 1544, os frades mudaram-se para o hospital de Santo André.
E em 1559, o edifício velho começou a ser demolido para se aproveitarem os materiais para a construção da nova igreja, que já se encontrava pronta em 1580. No primeiro quartel de Setecentos, efectuou-se uma renovação arquitectural do Convento de Torres Vedras. O Convento crescia em fama e influência, atingindo o ponto alto em 1778, quando Frei Gonçalo de Lagos foi canonizado.

 
desenvolvido por Slingshot